segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Sonho - A Chave Perdida




Sonho - na verdade, acordo de um sono vespertino - com a sensação batendo em minha cabeça. Alguém roubou minha chave. Roubaram minha chave, minha passagem para outro lugar, um lugar ao qual tenho direito, uma janela que se abre numa dimensão para outra - o meu lugar. Foi levada há muito tempo atrás, por alguém ruim, mal-intencionado, e pior ainda, fui levado a esquecer.
Para mim, essa chave não existia até hoje, quando desperto desse sonho com a sensação besta de ter sido enganado esse tempo todo, não quanto tempo, quantas vidas. Como acordando de uma anestesia e ainda sentindo a dor, puto por estar sentindo a dor, porque me enganaram.

A isso se juntou o sonho da noite: perdido num labirinto do metrô, eu precisava de dinheiro para a passagem, mas não tinha, ficava rodando sem achar a saída. De repente vejo um beco estreito, provavelmente quase ninguém a conhecia. Era uma passagem que dava num cemitério, muito cheio de verde, de árvores, dentro do qual caminho muito, mas não acho a saída, continuo andando sem ver portão ou aleias, só vejo gente, mas essas pessoas não tem rosto, seu rosto é negro, feito de pedra e liso. Algumas carregam máscaras de gente, mas dá pra ver que por baixo da máscara é liso e escuro, apenas com o relevo do nariz.

Passo por uma sala de apartamento, cheio de idosos. Uma velhinha está caída. Aponto para um deles a situação (ele me agradece) e continuo em frente. Acordo. Ainda sem ver por onde saio.

5 comentários:

angela disse...

São sonhos (pesadelos) cheios de significado existencial. Eu fico as vezes me perguntando o que de fato não era para Adão e Eva conhecer? O sexo me parece tão pouco! Melhora se com ele vier a consciência da vida, da morte e do desamparo do homem frente a elas. A inocência perdida, a alegria que ficou um pouco travada pelo medo, a incerteza quanto aos caminhos a serem seguidos e suas consequências. Ninguém nem nada nos perguntou. Não há como não se sentir um pouco enganado. Mesmo com essa angustia você encontra como ajudar o outro e ...bem vamos vivendo,né?

PS: esses sonhos poderiam ser interpretados por uma vidente, por um freudiano, jungiano, existencialista e quem sabe até pra jogar no bicho. Bom demais
abraços

José Doutel Coroado disse...

Caro Mauverde,
Gostei!
Adoro esta sensação de estar num labirinto.
abs

missosso disse...

puxa, e ainda sem achar saida ao final, de tirar o folego!

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Houve um tempo em que eu anotava todos os meus sonhos, Angela. Como eles se repetiam constantemente, com pequenos detalhes diferenciados, terminei por deixar de anotá-los... Preciso encontrar esse caderno...
Cumprimentos cinéfilos e apareça!

O Falcão Maltês

ॐ Shirley ॐ disse...

Essa crônica, amiga Angela, tem gosto de pesadelo. Mas, com ou sem a tal chave, estamos sempre , a cada nova existência, cruzando a fronteira de outras dimensões...Beijo no coração!