sexta-feira, 28 de outubro de 2011

questão

por que insisti naquela porta
se não havia lá nada
que já não estivesse
fechado

outra tantas mais batalhas
se todas as guerras são a mesma guerra
perdida

ir embora nova terra novo mar
se nenhum navio me leva onde já não tenha
chegado

se a cidade seguirá atrás de mim
com as mesmas ruas que cruzam
as mesmas esquinas

os mesmos subúrbios insensatos
a desembocar nas praças baldias de sempre
por que não há outra terra

outro mar
nem outra casa nem será possível criar
um outro lugar

apenas a velha armadilha
do ideograma chinês
(eu)
?

Um comentário:

Dalva Maria Ferreira disse...

Não sei. Francamente não sei.