terça-feira, 2 de março de 2010

A QUEDA LIVRE
















Naquela noite
era num sábado,
(mas podia ser domingo)

Bem, naquela noite
era num sábado
e o mundo girava o seu giro

Ninguém notou,
nem escutou
o peso-morto em queda livre

Ninguém notou,
na rodovia,
era domingo: e quem havia de notar?

Foto: "Wata"


5 comentários:

angela disse...

Essa desvalia é tão dolorosa de contatar.
Lindo poema, deixou meu coração apertadinho.
beijos

José Doutel Coroado disse...

Gostei. Me fez pensar...
abs

missosso disse...

o pseo-morto é também peso-pluma, como na rodovia era sábado e também domingo, belíssima e pouco evidente a rima deste poema.

Jose Cancelinha disse...

Gostei deste blog. Ja o adicionei à minha lista no http://olharatentoounao.blogspot.com/

Parabens

missosso disse...

volto aqui e ecoa: "e quem haveria de notar?", muito difícil de esquecer.