sábado, 17 de abril de 2010

O PODER















O poder
que emana do indicador
daquele que sabe de cor
a cura da dor de viver
Este sim,
sem a mínima sombra de dúvida,
é o tal do poder superior.
Que atravessa a grossa couraça
do ser ou não ser,
do be e do não be,
e vai direto ao xis da questão

(este sim)
é o verdadeiro trem-bala,

é o super,
o hiper,
o mega,
é o bom!
"Eu te curo"
- ele diz -

da doença
que corrói a carne,
da praga,
que corrói o osso,

da dívida externa
e da dúvida eterna.

"Eu te curo"
- ele diz -

dos males presentes,
passados,
futuros...
Em nome do isso,
do aquilo outro
e em meu nome também.

(absolutamente amém)

3 comentários:

angela disse...

Gosto muito quando você aparece.
Completamente, absolutamente perfeito.
Adorei o "do be ou não be" .Fina ironia.

José Doutel Coroado disse...

Cara Dalva,
copiando vc:
"absoluuuuuutamente amém"
parabéns

missosso disse...

da dívida externa e da dúvida interna? cacete, essa foi demais, bravo Dalva!