domingo, 6 de fevereiro de 2011

poemas não chegam a ser coisas mas duram mais que elas

as poesias mais belas são escritas
numa língua estrangeira que mais ninguém
decifra não de todo nunca
definitivamente

as poesias mais belas têm sentimento
o fervor
da oração das crianças o escrúpulo
inquieto das lições de casa malfeitas

as poesias mais belas são verdadeiros pensamentos
que vêm tanto do coração do sexo do
eu-pele
como do cérebro

as poesias mais belas têm sangue ardente
de emoções e instintos correndo
por elas qual fogo de santelmo
na tempestade no heliotrópio

as poesias mais belas são descabeladas
bacanais amizades entre fêmeas
comunas redes sociais sinapses
porque poesia é jogo (infinito) desfile
de signos

2 comentários:

José Doutel Coroado disse...

Caro Missosso,
belo título!
Gostei!!
abs

missosso disse...

Joseph, o bom título é meio caminho andado, rsrs