sexta-feira, 19 de dezembro de 2008


onde não sei
onde não sou
onde não fui
e não estou

no arrastar das horas
quem dói mesmo
são os joelhos

mas espiando pela fresta
da vida que espera
já se pode ver um pouco
de verdade a granel

desmanchei um muro e fiz uma estátua

o sonho
o símbolo
a sombra
o susto

respire:
já passou
porque jamais houve

6 comentários:

Flávia Regina disse...

Tudo foi só um sonho, então?

Jamila Maia disse...

Não um sonho, mas um ponto de vista. :)

missosso disse...

ponto de vista desvairado, esse do sonho, pois não?

Flávia Regina disse...

Desvairado?
Tá bom, não me sôou bem como sonho isso aí... mas como pesadelo mesmo.
Sonho é coisa boa.

Dalva M. Ferreira disse...

Enigmático, minha. Muy enigmático...

angela disse...

a vida é sonho...o humor da dor nos joelhos é talvez o que mais se aproxima da realidade. tudo é maya