domingo, 1 de março de 2009

Pureza


Faz sentido colocar-se a nu se quer receber alguém em sua nudez.

Natural questionar a própria lucidez se quer comunicação com os que duvidam da própria.

Necessário perder um pouco do chão se quer diálogo com os aéreos.

Quem já perdeu o verniz da vestal e permitiu-se mácula pode viver o mundo com amor.

Não voltarás como tu mesmo e o que já foste nunca mais o será. Perder-te-ás. Mas falarás em muitas línguas e olharás com olhos de bondade, humor e tolerância para a imensa aventura que as crianças empreendem.

8 comentários:

Antonio Bento disse...

beleza de texto. Nunca entendi, por que será que pur, em grego, traduz pureza e fogo? e por que será que Heráclito, o cara do fogo, acha que as crianças é que sabem brincar com o tempo?

Antonio Bento disse...

ah! será que ele pensava que somos como crianças todas as vezes que olhamos o outro com esse olhar?

angela disse...

lindo texto, um pensar sem medo, despido da arrogancia. Afinal a emoção não envelhece...e como crianças ficamos inumeras vezes

mv disse...

Antônio, acho provável. A criança está muito mais livre do preconceito com que vestimos o Tempo...

Angela, quando a nossa emoção envelhece, amargamos. Sabe qual é o gosto relacionado com o coração (e, por extensão, que mostra problemas neste órgão) para os chineses? Amargo...

mv disse...

Ah, Antônio, o fogo é o grande purificador, né não? Já ouviu a expressão "purificado pelo fogo"? Deve ser por aí.

angela disse...

MV.dizem que o complemento do amargo é o doce, de algum jeito e em algum lugar um vira o outro
Vc não acha que estas coisas são qualidades das emoções? Isso envelhece, e tb, as qualidades, as manifestações, a importancia, etc, mas as emoções...

missosso disse...

ah, perder certos venizes... já dizia o benjor: deixa o menino brincar!

missosso disse...

ah, ia esquecendo, obrigado por responder DESTA maneira, amigo.