terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

a alegria maior ouvi na voz da tristeza

quarto de hotel de Edward Hopper

o zero não representa

o nada

uma vez que que o nada se

a presenta

o zero não é vazio

ou neutro

privação/plenitude

presença/ausência

o zero apenas indica o lugar

do buraco

o zero está ali para lembrar

que tudo

desconstrói interrompe falta

e que lá onde a falha está

nascem os deuses terremotos brota

maná

7 comentários:

.justlow disse...

O que seriámos de nós se não fosse a tristeza, é isso que ajuda nós a melhorarmos a cada dia !

Paulo Henrique disse...

pô, depois de ler Derrida, Missosso e Lacan ficaram babas, acho que a palavra, pura e simplesmente, já é uma nostalgia daquilo que se foi (Seminário 1), senão, nem precisa falar, basta a alegria ...

José Doutel Coroado disse...

Gostei.
"o zero indica o lugar do buraco...
abs

missosso disse...

.justlow, como me deixam cheio de infinita tristeza as pinturas do Hopper. Ph(d), a palavra não é a espada que eu gostaria na peleja da vida, mas um bisturi para dissecar o já-morto. José Arcadio, ao pé da letra: o zero é um buraco na lista dos números, sua presença é um tapa-sexo... lol

angela disse...

O que tapa destapa
no que destapa revela
quando tapa esconde
o lugar do nada é o lugar do tudo
então tanto faz ir pra direita ou pra esquerda
no final tudo será comida de formiga.
vou parar por aqui.
enlouqueci...rs

Cadinho RoCo disse...

Na coerência do zero a incoerência de tudo.
Cadinho RoCo

Barbara disse...

Aprendi num curso de meditação, que o "zero radical" é sempre uma alavanca.