domingo, 21 de fevereiro de 2010

conversa de café - A malandrice do Professor

Estava eu a ler o jornal, quando entraram o Hélder e o Rui.

- Senhora Felisberta, dois cafezinhos, se faz favor.

Sentaram-se na minha mesa.

- Então como é que foi a jantarada ontem?, perguntei eu ao Hélder.

Ele acabou de pôr o açúcar no café:

- Do melhor que há… ainda bem que o Francês decidiu abrir um restaurante. A mulher dele tem jeito prá coisa.

- E o que se come?

- Olha para começar o Prof. Pereira pediu umas entradas. Eu fiquei meio sem jeito, que não percebo nada dessas etiquetas e disse que podia ser igual para mim. E lá vieram as entradas.

Quando vi uns camarõezinhos até tive que engolir um suspiro. Já imaginaste se me traziam umas coxinhas de rã ou uns caracóis?

- Quanto às coxas de rã… nunca comi. Se calha até era capaz de provar. Agora os caracóis… Não me digas que nunca provaste?

- Nã… só de pensar naquela coisa gosmenta que eles deixam ao andar…

- Pois… eu já comi quando fui a Lisboa e bem que me souberam. Mas adiante… que mais…

- Depois é que foi o pior… Então, vocês estão a ver… Veio a moçita que trabalha lá a servir às mesas, tirou os pratinhos dos camarões mais os molhos e logo a seguir traz duas taças, uma em cada pratinho. Pôs uma ao Professor e outra à minha frente. Eu olhei para aquilo e o que é vejo? A mim parecia-me água… Água mesmo, sem mais nada! Nem tugi nem mugi! Continuei na conversa a ver o que é que ele fazia… Mas nada! Às tantas lá perdi a vergonha e perguntei-lhe se aquilo era alguma sopa francesa. Ele olhou para mim muito sério e perguntou-me se eu nunca tinha provado o consommé à francesa. Lá lhe disse que não, que nunca tinha provado esse tal de consommé ou lá como é que ele falou… Que eu de francês não percebo nada, como sabes. Ele então disse-me que era uma sopa refinada. Olhei para os talheres e como não vi nenhuma colher ia a chamar a empregada quando o Professor me disse:

- Hélder… o consommé bebe-se… Pega-se na taça e bebe-se.

- Oh Professor mas isto é bom?

- Ora prove e logo me dirá!

Eu pego na taça e, coisa estranha, estava fria.

- Então… vamos lá. Prove!

Lá dei um golito. Porra lá para o consommé! Aquilo sabia a água… água fria sem tempero nem nada… nem um grãozito de sal, nadinha! Águinha pura da torneira!

O Professor continuava a olhar para mim como se estivesse à espera que eu desse a minha sentença sobre aquela coisa. Lá me armei em fino e fui bebendo aos golitos… Ainda dei uns estalos de língua como se me estivesse a saber muito bem e tudo.

Quando acabei o Professor disse-me:

- Agora para preparar a boca para o próximo prato, você tem de chupar esses dois gomos de limão que estão aí nesse pratinho…

Quando o Hélder acabou de dizer isto, o Rui começa a rir a bandeiras despregadas no que foi seguido por mim e mais uns bacanos que estavam na mesa ao lado e também estavam interessados em saber como é que era o novo restaurante.

- Ó Hélder… o Prof. Pereira bem ta pregou!

- Que é que estás para aí a dizer?

- A água e o limão eram para lavares as mãos, para tirar o cheiro do marisco!

O Hélder ficou a olhar para ele.

- Ai o malandro do Professor! Por isso é que ele deu uma desculpa esfarrapada para não comer a dele!

7 comentários:

missosso disse...

hahahaha, muito fino esse professor! que minestra amarga essa do Hélder; obrigado José, a sua bem temperada prosa não é como a "sopa". (ainda estou a rir)

angela disse...

Conta a estória com muita picardia.
Ri bastante.

Patrícia de Lurdes Pinto disse...

Há gente que deve desconfiar primeiro... mesmo quando vem de um professor!

José Doutel Coroado disse...

grato pelos comments.
ps: esta estória aconteceu mesmo! nomes e localização alterados para preservação do orgulho ferido dos reais intervenientes.
abs

Dalva M. Ferreira disse...

Deixa eu ficar beeeeem quietinha. Mas, cá entre nós, não parece piada de português?! Coitadinho...

José Doutel Coroado disse...

Cara Dalva,
é piada de portuga mesmo.
Mas, digamos assim, é piada aplicável a todo e qualquer um que pretenda se armar em fino... género novo rico e outros espécimes deslumbrados.
grato pelo comment.
abs

Rui Manuel Costa disse...

Esta foi bem gira! O que eu me ri quando a ouvi contar...:))))))