segunda-feira, 10 de maio de 2010

Ícaro



A imensidão do abismo

Me atrai em livre queda

Que o arbítrio insiste em recusar

.

Entre o olhar a paisagem

E em nela ser

Queda o livre arbítrio

.

Quero asas...

(Edmar)

______________

ilustração; "A queda de Ícaro" - Chagall

9 comentários:

José Doutel Coroado disse...

eu também quero asas...
para voar ao meu livre arbítrio.
Gostei!
abs

Ana Cecília disse...

eu avoei...
desse abismo
de cheiros...
de cores......
de sopros...
de gostos...

de luas...
de açucar...
de fel.
E
de
...

Paulo Henrique disse...

abgrund - a-fundamento - sem fundo

Paulo Tabatinga disse...

Bela poesia. belo voo, quero dizer: ótima queda. abraços

Melanie Brown disse...

A cair...........

angela disse...

É preciso ter as asas para decidir voar ou cair, senão o que resta é decidir cair ou ficar.
Lindo poema.

Dalva Maria Ferreira disse...

...no calor do teu carinho
sou menino passarinho
com vontade de voar...

Entendo!

Tânia regina Contreiras disse...

Queria poder dizer: SOU asas! Ainda não contudo: então também QUERO!

Abraços,
Tania

Anônimo disse...

achei excelente a realização poética desta verdade: livre-arbítrio é queda. dá-lhe poeta!