segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Inominável


Do prazer tirou a alegria

o belo transformou em feio

a inocência virou pecado

a alma leve que brincava

escondeu-se


aniquilou-me

em pedaços me partiu

multiplicada em mil

em cada pequeno fragmento

a dor inteira ficou


naqueles que atiraram a pedra

o terror penetrou

a crueldade se alojou

a vingança primitiva

acordou

ecoou

e

ruge

urge

clama

suplica

por mais suplicio.


e aquilo que um dia foi alegria

escondido

disfarçado

transformado

em sórdidos desejos

secretamente

silenciosamente

covardemente

goza




1 - As primeiras leis que tentaram reger a vida social é o conhecido Código de Hamurabi a lei do talião, que significa "tal e qual". Olho por olho, dente por dente. É um conjunto de regras com as punições correspondentes a suas infrações. Apesar de seus quase 4000 anos e terem suas origens na mesma região é em muitos aspectos mais tolerante que a atual,

Condena-se a morte adúlteros e homossexuais.



(foto retirada do Google-Código de Hamurabi)





3 comentários:

José Doutel Coroado disse...

Cara Angela,
belo poemaço!!
abs

missosso disse...

que coisa vc fez: a reunião de contrários, a síntese, é desfeita pela intolerância (a pedra atirada, o terror que penetra, o desejo de vingança). é minha cara poeta, por vezes a Lei está aí apenas para garantir a barbárie - como hoje em que ainda se apedrejam mulheres... agradeçamos esta nova safra da sua poesia!

angela disse...

José Doutel
Obrigada
Missosso
é pra tentar ver se para de doer.
obrigada pelo incentivo.