terça-feira, 18 de novembro de 2008

aos 9 anos já tinha perdido pai e mãe, hoje cato papelão, sons, plástico, cores, latas



episódio
na estrada emerge um caminho de
experiência feito, sensação
memorável porque criou
a surpresa


apaixonar-se
a melodia solta no espaço
sem ritmo, sem groove,
a ranhura faz a diferença
que servirá de alicerce
(a levada)
mesmo se for a primeira vez: reverbera
encontrando aquilo que poderia
ser de qualquer
um


o amor é um jogo de perdas
certas
o amor é um jogo de lucros
arriscados
ao menos tenho o ódio
certeiro
vidente
nele, meu claro demais
espelho


os amantes se incrustam
nos pedaços de concreto
que coloriram
um novo movimento
distribuído
à cidade

3 comentários:

Anônimo disse...

Should I cry??

ADIEMUS disse...

Gostei, companheiro!

missosso disse...

pois é... podemos chorar ou catar o que sobra por aí, no fim das contas, a vida é jogo perdido de antemão, portanto, achar coisas no meio do caminho é a solução. ou não.