sexta-feira, 14 de novembro de 2008

Tanto te amo que te odeio


Foto do espetáculo "Onqotô" do Grupo Corpo
.
.
.
"É que, onde a luta falha enquanto poder de conservação/
libertação (sotería), começa a estagnação, o compromisso,
a mediocridade, a inocuidade, a degeneração e a decadência.
No entanto, essa luta - e este é o outro ponto para o qual convém chamarmos atenção - não é aqui a desavença e a discórdia fortuita e a mera inquietude, mas o confronto da grande oposição entre os poderes essenciais do ser" (Heidegger, Hinos de Hölderlin, p. 121).

2 comentários:

missosso disse...

'o confronto da grande oposição entre os poderes do ser', aí está companheiro o bom combate, a verdadeira luta, a chama que comove pois Pelé disse love, love, love...

Anônimo disse...

Pelé disse tudo!!!