domingo, 10 de agosto de 2008

Contraponto




Você me dá números e argumentos
Eu te dou sonhos e memórias

Você tenta me acordar
Eu insisto na minha lucidez

Você traz projetos para um novo mundo
Eu te dou meu caderno de rascunhos

Você mostra uma linha coerente da História
Eu só vejo a trajetória errática do Homem
Envolto por seus monstros, sua cegueira
Sua necessidade de segurança

Você é cético
Eu sou onírico
E talvez por isso mesmo
Bem mais severo

Você quer que eu abra os olhos
Eu insisto que você feche os seus

5 comentários:

missosso disse...

putaquiospariu! nessa você se superou companheiro, é duca catucar onça com vara curta!!!!! gozei...

b. illusion disse...

Acho interessante a forma como suas últimas postagens tratam sempre do dual: o eu e o outro, o céu e a terra, o muro e o que há além dele. Muito bom o texto, chuchu.

mv disse...

O mais gozado é que o texto saiu em menos de cinco minutos, de uma vez... vai entender! :)

Dalva Maria Ferreira disse...

Bom bonito. Gostei muito. Mais!

missosso disse...

PRECISO VOLTAR AO TEMA, O MELHOR DESSE DUAL É QUE NÃO SÃO SIMPLES OPOSIÇÕES BINÁRIAS: MUITAS DAS COISAS NÃO SÃO OPOSTAS. fORTE ESSE BAGULHO!!