domingo, 27 de dezembro de 2009

o planetário de deus



A solidão é uma fortaleza


Que anseia o ataque


Das lembranças e da saudade



As lembranças sempre atacam


A saudade nunca chega...

_________

foto: Edmar, Ibitipoca, Mg

6 comentários:

Albertine disse...

parece que nostalgia do objeto perdido é bom negócio, coisa de romântico.

José Doutel Coroado disse...

boa Don Edgar
meu aplauso

Lídia Borges disse...

Tempo de balanços e de nostalgias.

Um beijo e um 2010 cheio de poesia.

L.B.

angela disse...

E a fortaleza permanece...
A solidão precisa tecer suas asas e sair voando por aí.
Quem sabe ela se imagina passaro e se põe a cantar...
Lindo e sabio poema.
beijo

missosso disse...

que fortaleza é a poesia, Edmar
que mar de nostalgia
é ter vivido

missosso disse...

e que foto, hem?!