quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Um dia eu invadi a agenda dela


Te amo dessa maneira
Abilolada, maluca
Às vezes olhando pra Lua
Dando pulinhos na rua

Te amo doce, macio
Em espiral ascendente
Ou até mesmo safado
Despudorado, indecente

Me arrisco assim, rabiscando
O seu caderno de virgem
Amando também a vertigem
De tê-lo uma vez violado

Dos versos não me arrependo
Perdoo-me, passarim
Afinal, todo mundo já fez
Por amor um poema ruim! :D

2 comentários:

angela disse...

Cuidado pra não viciar na vertigem do pecado.
Os versos ruins, se os fez, não estão aqui.
Poema leve e matreiro.

missosso disse...

"rabiscar o seu caderno de viagem' é viver essa grande aventura, belo, Mau!