segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

o viajante nu


nunca acorde

os mortos

durante o dia

ouse reabrir as portas


da percepção

faça caminhos que

eles

não possam dispersar

ainda há bilhetes

para a dança do horror

queime a fúria

depois

da noite de transe

5 comentários:

angela disse...

Os bilhetes não acabam nunca e em algum momento eles nos alcançam.
Que seja o derradeiro!

missosso disse...

os ingressos de um show que não acaba, nós acabamos, o horror não. tks compa

angela disse...

Ah! Não me tire o único consolo que a morte traz.

Dalva M. Ferreira disse...

Medo de você, cara. Tem um tipo de morto para cada tipo de pessoa: tem morto que se acha eterno, e por aí vai.

José Doutel Coroado disse...

é certo que, por vezes, é melhor não cutucar onça com vara curta... ou melhor dizendo, quem brinca com fogo acaba se queimando...
ou... vcs sabem...
Bem apanhado e um olhar refrescado sobre um problema que tem o "vudu" e outros transes.