sexta-feira, 6 de junho de 2008

a mirada anterior


O mundo em que vivemos, sentimos, pensamos, aparece desfigurado e distorcido porque embaixo dele há correntes de água, veios e ruínas, os destroços do Real -- é um mundo horrível e belo, assustador ou aconchegante, que se manifesta e dissipa, em que se constroem e tombam quaisquer sentidos, vagos que sejam; onde não há razão de ser. É um mundo maravilhoso... mas sempre, em última instância, imaginário.


Parar o mundo, suspender juízos e opiniões recobrar o prodígio que está na realidade de todos os dias: ela é!


Todos já tivemos um dia esse olhar, essa capacidade de escutar o silêncio, todos já soubemos do invisível, imperceptível instante em que o tempo pausa, entre uma pulsação e outra. O que me interessa é recuperar a visão direta das coisas, ouvir o rumor da existência quando a noite caiu na cidade insone.


A outra vida está aqui.


2 comentários:

julia disse...

não recebi convite ainda
http://clipclean.blogspot.com/

Dalva Maria Ferreira disse...

O que faz a marvada...

Mâns, concordo plenamente. Em gênero, número e grau. A vida é bela, muito bela. Pena que.